top of page

As Virtudes Cardeais


Em algumas tradições cristãs são quatro as virtudes cardeais:


Prudencia: capacidade de julgar entre ações considerando aquelas apropriadas em um determinado período.de tempo.


Justiça: adequada moderação entre o interesse próprio e os direitos e necessidades dos outros.


Temperança ou Submissão dos Sentidos: prática do auto controle, da abstenção e da moderação.


Perseverança ou Coragem: paciência, resistência e capacidade de confrontar o medo, a incerteza e a intimidação.


Estas virtudes foram inicialmente derivadas do modelo de Platão (que inclui a piedade) e adaptadas por São Ambrósio, Agostinho de Hippo e Tomás de Aquino. O termo “cardeal” vem do latim cardo ou suportes pivotados, sendo assim chamadas por serem as dobradiças sobre as quais a porta da moral se apoia e se movimenta.


As figuras acima apresentam as virtudes Cardeais como foram ilustradas no Túmulo do Papa Clemente II (papa por apenas 12 meses, falecido em 1047 e o único sepultado fora da Italia ou da França) na Catedral de Bamberg, Alemanha.


Estas virtudes podem também ter sido adquiridas da cultura judaica. No Livro da Sabedoria de Salomão, ou Livro da Sabedoria ou simplesmente Sabedoria (que é um dos livros que compõem os livros sete Livros deteuro-canônicos da Bíblia, juntamente com os Livros de Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cantares de salomão e Eclesiástico) no Capítulo 8, verso 7, se lê: “Ela (sabedoria) ensina temperança, e prudencia, e justiça e perseverança que são as coisas que os homens podem ter como as mais valiosas em suas vidas.”


Foram certamente trazidas ao Cristianismo, pois São Agostinho, discutindo a moral da igreja, assim as descreveu:


Para estas quatro virtudes (poderiam todos eles sentirem a sua influencia em suas mentes assim como eles tem os seus nomes em suas bocas!), eu não terei nenhuma hesitação em defini-las:


"que temperança é em si mesmo dar amor inteiramente para o que se ama, perseverança é o amor prontamente suportando todas as coisas para o bem do objeto amado, justiça é o amor servindo somente o objeto amado e, consequentemente, governando corretamente, prudencia é o amor distinguindo sagazmente entre o que o suporta e o que o ajuda."


Estas virtudes “cardeais” não são as mesmas que as denominadas virtudes teologais: fé, esperança e caridade (veja 1o. Corintios, Capítulo 13).


Juntas elas compõem o que é conhecido como as sete virtudes cardeais, também conhecidas como virtudes celestiais.



Tumba de Sir John Hotham na Igreja de Santa Maria, South Dalton, East Riding of Yorkshire, onde se observa as imagens artísticas das virtudes cardeais suportando-o quando em vida.



A formação de um genuino maçom é um processo continuo que combina os esforços de aprender, praticar, internalizar e ensinar as sãs doutrinas que estão apresentadas em nossos rituais e preleções. Não é possível alcançar êxito nesse processo sem que tais esforços ocorram e, muito menos, sem tutores e líderes que não tenham passado pelo mesmo estreito caminho.


Entender o significado, a importância e a necessidade da prática constante das virtudes cardeais é parte dos fundamentos desse processo. Está bem no inicio dessa maravilhosa jornada e irá acompanhar o maçom pelo restante da sua vida.


 

As Virtudes do Maçom

Dedicado aos Companheiros


Na Maçonaria, o homem Manifesta suas virtudes,

Através da firmeza de atitudes.

Maçom deve ser paradigma

Como construtor da Humanidade:

Na prática da , da Esperança e da Caridade.


Essas, apenas não bastam!

Além das teologais,

Deve praticar as naturais,

Para completar a sua marcha:

A Prudência e a Temperança,

A Justiça e a Perseverança.


Francisco Mello Siqueira

2003


 

21 views0 comments

Recent Posts

See All

Comments


bottom of page