top of page

Página do Poeta

Loja Maçônica Chequer nascif 169

Clique na imagem para visualizar em tamanho maior. 

Dedicada ao Poeta Maçom

Adilson Zotovici

Mestre Instalado 

ARLS Chequer Nascif No. 169

São Bernardo do Campo

G.L.E.S.P.

Poemas sobre o amor Fraternal

Default_logo_containing_square_and_compa

CENTO E TRINTA E TRÊS !

 

Oh quão bela e rica oração
Mesclando amor e placidez
Pra viverem irmãos em união
Que com inspiração...Davi fez !

 

Qual divino óleo da unção
De Arão, desceu pela barba e tez,
Orvalho do Hermom sobre Sião
Refrigério contra aridez

 

Na unidade, a exaltação,
À humanidade, com sensatez,
Por vida plena em comunhão

 

Pregou  do PAI, com altivez
Benção à vida, perpetuação,
Em Salmo...cento e trinta e três !
 

A   FRATERNIDADE

 

Mãos dadas, perfeita união 
Em torno dum comum labor 
Dita o sentimento, a razão 
Como pregou o Criador 

 

Se caridade, exaltação, 
Solidariedade, penhor... 
Advindos do coração, 
Descortina o real valor

 

Assistir a qualquer irmão 
Sem humilhar e sem impor 
Com as mãos, o verbo , o pão... 

Obra Divina do Senhor 
Que se erige a elevação 
A Fraternidade... é amor

AMOR FRATERNAL

 

Fraternidade o que é? 
Não é amar a esmo.
É amar o próximo

Como a si mesmo. 
De Jesus essa é a palavra 
Não é de minha lavra.

 

Quem é o próximo? 
É quem esta perto? 
Ou isso é incerto? 
Como posso saber? 
Melhor é pensar 
Como se pode amar.

 

Será que é o rico? 
Ou o mendigo? 
Ou o amigo? 
Como será? 
Será o abastado? 

Ou o desafortunado?

Não há acepção de pessoas!

Paulo o apostolo recomenda,

Em tom de reprimenda,
À Igreja de Corinto: 
Dom supremo é o amor,

Fraternal, com muito ardor.

Assim diz o salmista: 
Irmãos vivam em união, 
Em plena comunhão.
Tal como o óleo precioso 
Sobre a cabeça de Arão, 
Pai Santo de Sião.

O amor é paciente, benigno.
Como disse Jesus,
Aos apóstolos que fizeram jus:
Dos mandamentos o amor é o maior. 
Meus queridos, aos inimigos precisamos amar. 
Para Deus nos galardoar.

Ir. Francisco Mello Siqueira - in Memoriam

ARLS Minas Livre Esperança No. 606, GOB

Jacutinga, MG - 2003

Bem claro e vivo os versos do irmão  Francisco Mello Siqueira... Ele, o próximo verdadeiro !  inda que distante , em outra estação,  com suas palavras, o amor fraternal tão próximo! ...Grato irmão!!!

Ir. Adilson Zotovici

22/11/2023

O QUE VIESTE FAZER 

 

O que vieste livre pedreiro
Contemplado com tal tesouro
Fazeres no probo canteiro
Essa a pergunta de ouro

 

Da tua resposta obreiro
Que posta enfim, desde calouro
Definirás o teu roteiro
Fugirás assim, dum desdouro

 

Pelo progresso duradouro
Estudares o tempo inteiro
Eis o processo alvissareiro

E Mestre, levar por derradeiro
Conhecimento imorredouro
Que o intento, ao irmão vindouro !

FURRIÉIS, CORONÉIS...

 

Há entre os livres pedreiros 
Como se os tais furriéis
Os que abrilhantam os canteiros 
E também os quais coronéis 

 

Pensam até que em quartéis
E bem armados guerreiros 
Jamais entre eles cruéis
E denodados obreiros
 
Cumprem, cada qual, seus papéis 
De arcanos alvissareiros  
E à Arte Real são fiéis 

 

Aos seus tempos, os seus painéis
Foram e serão sobranceiros
Sob os mesmos doutos dosséis !

08/11/2023

AMIZADE

 

Acima até de bondade
Um ato simples mensuro
Que não tem tempo ou idade
A alguns, um alto muro

 

Temos pois, a liberdade
Fazer Luz nalgum escuro
Não favor ou caridade
Por amor, leal, seguro

 

Há nele a fraternidade
Sem igualdade abjuro
Sincero com lealdade

 

Ao livre pedreiro auguro
Prazer em ter “amizade”
Qual  filósofo Epicuro !
 

COMPANHEIRO...MESTRE

De “mestre” serás chamado
Muda o avental, a idade
Em exaltação aclamado
Se sem cobiça ou vaidade

 

E te verás rodeado
Por iguais da irmandade
Se tiveres comprovado
Contrário à deslealdade

 

Não só donde abrilhantado
Passarás ter liberdade
Por todo canteiro sagrado

 

Estudaste compenetrado
Que aprovado em verdade
De ti esperam um “ Mestrado“ !
 

25/10/2023

GRUPO DOENTE

A terra em mar fremente !...
Grande onda em noite escura
Como açoite hoje à frente
E que brande a desventura

 

Hamas, um grupo doente !
Pregando terror, amargura
Sem piedade, inclemente
Maldade a propositura

Não se mostra competente
Sua má obra configura
Sem maço ou cinzel vigente
A machado sua escultura

 

Não parece ser temente
Ao Criador a criatura
O desamor é latente
Que infiel sua postura

 

Ódio tal na voz latente
Não apraz boa ventura
Mortal, algoz do inocente...
"Não há paz nessa loucura" !

​​

CAMINHADA

Do teu espírito emana
A forte Luz que ilumina
Que te liberta e obstina
Da incerta vida profana

 

Caminhada paulatina
Peregrinação humana
Tua opção soberana
À perfeição a rotina

 

Alimenta-te do prana
Espiritual a doutrina
Imaterial e ufana

 

Lida superna tua sina
Efêmera, espartana
À vida eterna e divina !

bottom of page